Comitê de Gestão da Criatividade
(48) 3287-2828
O Comitê de Gestão da Criatividade, formado por magistrados e servidores, objetiva captar ideias e projetos para a melhoria dos serviços internos e externos da máquina administrativa e judiciária, para a otimização do atendimento e a satisfação das necessidades dos usuários da Justiça.
Biênio 2016/2017 
 
Presidente
Desembargador Luiz Cézar Medeiros, Diretor-Executivo da Academia Judicial
 
Membros
Desembargador Saul Steil, Desembargador indicado pelo Presidente do Tribunal de Justiça
Juiz de Direito Alexandre Morais da Rosa, Juiz Auxiliar da Presidência
Juiz de Direito Marcelo Carlin, Diretor de Pesquisa e Aprimoramento Institucional da Academia Judicial
Juíza de Direito Vânia Petermann, Diretora de Assuntos Acadêmicos e Pedagógicos da Academia Judicial
Alexandre dos Anjos, Secretário-Executivo da Academia Judicial
Michele Hortz, Chefe de Gabinete da Presidência
Cleverson Oliveira, Diretor-Geral Administrativo
Ricardo Albino França, Diretor-Geral Judiciário
João Anfilóquio Machado Júnior, Coordenador da Assessoria de Planejamento - Asplan
Priscila de Aquino Marcelino, Assessora da Academia Judicial, na qualidade de secretária
Analisar as ideias e os projetos apresentados.
As propostas de projetos poderão ser encaminhadas para o e-mail criatividade@tjsc.jus.br ou entregues na Academia Judicial com o formulário preenchido
 
As propostas deverão ser submetidas por magistrados e servidores do Poder Judiciário do Estado de Santa Catarina.
 

Se a proposta aprovada e implantada gerar economia financeira ao Poder Judiciário, o proponente perceberá, além do certificado e troféu próprios:

a) se magistrado, 30% (trinta por cento) de seu subsídio em forma de cursos de sua livre opção; ou

b) se servidor, pagamento de gratificação pelo desempenho de atividade especial, nos termos do art. 85, VIII, da Lei n. 6.745, de 28 de dezembro de 1985, no valor correspondente ao nível 10/A da tabela de vencimentos do Quadro de Pessoal do Poder Judiciário de Santa Catarina, em parcela única.

Se a proposta aprovada e implantada não gerar economia financeira ao Poder Judiciário, o proponente perceberá, além do certificado e troféu próprios:

a) se magistrado, 20% (vinte por cento) de seu subsídio em forma de cursos de sua livre opção; ou

b) se servidor, pagamento de gratificação pelo desempenho de atividade especial, nos termos do art. 85, VIII, da Lei n. 6.745, de 28 de dezembro de 1985, no valor correspondente ao nível 7/A da tabela de vencimentos do Quadro de Pessoal do Poder Judiciário de Santa Catarina, em parcela única.

Não serão pagas as gratificações se a proposta apresentada for inerente às atividades desenvolvidas pelo servidor ocupante de cargo comissionado ou pelo magistrado proponente.

Serão distribuídos anualmente, no máximo, 5 (cinco) prêmios a cada categoria (magistrado ou servidor).