Notícias da AJ
Voltar NEP auxiliará estudo para adequar espaço físico da Justiça aos avanços tecnológicos

O Conselho de Políticas Jurisdicionais e Administrativas do Poder Judiciário deu prosseguimento nesta sexta-feira (3/8) ao seu trabalho de buscar o melhor gerenciamento do espaço físico da Justiça catarinense, em razão dos avanços tecnológicos e modelos de trabalho - matéria sob a responsabilidade do conselheiro Luciano Fernandes da Silva, juiz titular da comarca de Ponte Serrada e um dos representantes do 1º grau naquele colegiado.

Nesta tarde, através de videoconferência, o magistrado, de seu gabinete no oeste do Estado, participou de reunião com dirigentes da Academia Judicial (AJ) a fim de criar um Núcleo de Estudo e Pesquisa (NEP) para se debruçar sobre o tema e apontar as melhores alternativas. Entre seus interlocutores, o juiz Cláudio Eduardo Régis de Figueiredo e Silva, diretor de pesquisa da AJ, e o engenheiro Everton William Tischer, diretor de Engenharia e Arquitetura do TJ.
O NEP terá como objetivo avaliar como as transformações decorrentes do avanço tecnológico e dos modelos de trabalho impactam no uso do espaço físico do Poder Judiciário, assim como levantar e apontar as necessidades atuais e futuras de adequação dos projetos e dos próprios espaços físicos já existentes.

Na abertura da reunião, o magistrado destacou sua satisfação em trabalhar com grupo tão variado e seleto. Interpretou tal circunstância como evidência do tamanho e da complexidade da tarefa delegada pelo presidente do TJ, desembargador Rodrigo Collaço. "Não vou negar o entusiasmo em enfrentar o tema que me foi confiado no Conselho de Políticas Jurisdicionais e Administrativas. E digo isso porque vejo não só um grande desafio a ser superado, mas também grandes oportunidades de não só estudarmos mas efetivarmos inovações significativas no espaço físico forense", pontuou.

O juiz Luciano, entre outras atribuições no conselho, é responsável pela área de engenharia e obras, com competência delegada para estabelecer as políticas e diretrizes à aplicação de recursos em obras de construção, reforma e ampliação dos prédios do Poder Judiciário em Santa Catarina. Esta foi a segunda reunião promovida pelo conselho, que antes já havia realizado visitas técnicas na sede da Secretaria da Defesa Civil do Estado e no Comando da PMSC, além de estreitar contatos em reuniões com diretores, integrantes da Assessoria de Planejamento (Asplan) e da Corregedoria-Geral da Justiça.

Distribuído em 111 comarcas, o PJ possui 125 edificações sob sua responsabilidade em todo o Estado. A videoconferência desta tarde reuniu ainda o diretor-geral administrativo, Rodrigo Peron; o diretor de Tecnologia e Informação, Rafael Ferri; e o secretário-geral da Academia Judicial, Alexandre dos Anjos - acompanhados por assessores de todos esses órgãos e também da Asplan e do Conselho de Políticas Jurisdicionais e Administrativas. 

 

Texto e Imagens: Assessoria de Imprensa do TJSC/Alex Cavalcante