null Área administrativa do PJ colhe resultados com o ERP, uma solução integrada de gestão

O Poder Judiciário de Santa Catarina (PJSC) já tem data para experimentar os primeiros avanços proporcionados pelo chamado Enterprise Resource Planning (ERP). Trata-se de um sistema de informação que integra as áreas administrativas de uma organização em uma única plataforma, com ganhos de produtividade e eficiência.

O pontapé inicial do projeto no Judiciário catarinense ocorreu no final de 2019, com a aquisição do sistema. Aproximadamente 80 pessoas estão dedicadas ao planejamento de implantação dos vários módulos do ERP, divididas em 24 grupos de trabalho. As atividades são conduzidas pelas diretorias vinculadas à Diretoria-Geral Administrativa (DGA), com o acompanhamento da Assessoria de Planejamento e o apoio do Gabinete da Presidência.

Os primeiros frutos desse esforço conjunto serão percebidos na próxima segunda-feira (1/3), quando o Judiciário lança seu novo sistema de Gestão de Receitas. Este módulo abrange atividades importantes como o registro, controle e cobrança de créditos vinculados a receitas próprias. Atividades de arrecadação, cobrança e devolução de custas e outras receitas passarão a ser geridas pela ferramenta do ERP, integrada com o sistema eproc.

O mês de março também será marcado pelo lançamento do projeto-piloto da ferramenta ERP para gestão de almoxarifado e patrimônio nas comarcas de Biguaçu, Blumenau, Navegantes, Rio do Sul e Timbó, assim como na Diretoria-Geral Administrativa e nas diretorias de Infraestrutura (DIE), de Tecnologia da Informação (DTI) e de Material e Patrimônio (DMP).

Os dois módulos lançados em março representam as primeiras etapas da implantação do ERP no PJSC, que alcançará ainda as áreas de gestão de pessoas, licitações, contratos e financeira. O uso da nova ferramenta vai proporcionar maior transparência e confiabilidade nas informações para subsidiar a tomada de decisões estratégicas.

"A implantação do ERP concretizará avanços importantes nos processos de gestão do PJSC, uma vez que permitirá ganhos significativos na integração entre as áreas administrativas, simplificando e automatizando diversos procedimentos, eliminando retrabalho e melhorando controles", explica a juíza auxiliar da Presidência Carolina Ranzolin Nerbass, coordenadora do projeto.

De forma direta, o projeto ERP alcança os setores de orçamento e finanças, gestão de pessoas, material e patrimônio. De forma indireta, traz benefícios para todas as áreas administrativas da instituição, inclusive aos setores de tecnologia da informação, infraestrutura e saúde. Além disso, o projeto entrega ganhos para o jurisdicionado e os operadores do Direito, na medida em que simplifica e agiliza serviços como pagamento de custas processuais e solicitações de devolução de valores.

Imagens: Divulgação/Assessoria de Artes Visuais-NCI
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.