Voltar

Portal do TJSC conta com ferramenta para pessoas com deficiência de audição

Integrado às necessidades especiais e da acessibilidade das pessoas com deficiência de audição, que tem neste dia 26/9 a data de comemoração do Dia Nacional dos Surdos, o portal do Tribunal de Justiça de Santa Catarina dispõe a ferramenta Vlibras que pode ser baixada facilmente, através do botão "Acessibilidade", localizado no alto da primeira página do site. O acesso consiste em um conjunto de ferramentas computacionais responsável por traduzir conteúdos digitais (texto, áudio e vídeo) para a Língua Brasileira de Sinais - Libras, tornando computadores, dispositivos móveis e plataformas Web acessíveis para pessoas surdas. O recurso foi desenvolvido pelo governo federal e já está disponível para os colaboradores. Havendo necessidade, os servidores do Tribunal podem solicitar o auxílio do TSI - Técnico de Suporte em Informática de sua unidade, para instalação. O link também está disponível no rodapé do Portal do TJSC.

O Dia Nacional dos Surdos, comemorado anualmente em 26 de setembro, tem como principal objetivo de desenvolver a reflexão sobre os direitos e inclusão das pessoas com deficiência auditiva na sociedade. A data foi oficializada através do decreto de lei nº 11.796, de 29 de outubro de 2008. A escolha do 26 de setembro é uma homenagem à criação da primeira Escola de Surdos do Brasil, em 1857, na cidade do Rio de Janeiro, que atualmente é conhecida como INES (Instituto Nacional de Educação de Surdos). É considerada uma das principais conquistas dos surdos ao longo dos anos o reconhecimento nacional da Libras, através da lei nº 10.436, de 24 de abril de 2002 e do Decreto nº 5.626/2005.

Atualmente, estima-se que existam aproximadamente 45 milhões de brasileiros com algum grau de deficiência auditiva. A luta das pessoas com surdez também é relembrada todos os anos em 30 de setembro, quando se celebra o Dia Internacional do Surdo. O mês de celebração do Dia dos Surdos é conhecido, também, como "Setembro Azul", sendo esta cor um sinal de representação para a comunidade surda. A explicação remonta a um hábito comum durante a Segunda Guerra Mundial, quando os nazistas identificavam todos os deficientes com uma faixa azul no braço.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.