null TJSC contrata solução integrada de gestão para beneficiar setores administrativos

O Tribunal de Justiça de Santa Catarina firmou nesta sexta-feira (29/11) contrato para a implantação do sistema de informação Enterprise Resource Planning (ERP) no Judiciário catarinense. Em tradução livre para o português, trata-se do Planejamento de Recursos Corporativos: um sistema que integra todos os dados e processos de uma organização em uma única plataforma, circunstância que permite melhorias nas gestões de pessoas, finanças, patrimônio, além dos procedimentos de licitações entre outros setores.

A assinatura eletrônica foi firmada pelo presidente do TJSC, desembargador Rodrigo Collaço, na companhia de representantes da empresa responsável pela implantação. Collaço manifestou expectativa em relação ao trabalho que será desenvolvido e destacou a relevância do investimento realizado. "A importância desse contrato está na transformação que ele pode trazer ao Judiciário", reforçou. O prazo definido para a total implantação do sistema é de 30 meses, o que não impede sua conclusão antes do tempo previsto. Os benefícios da plataforma integrada já poderão ser explorados à medida que os demais sistemas do Judiciário forem incorporados.

Também estiveram presentes na solenidade de assinatura o corregedor-geral da Justiça, desembargador Henry Petry Junior, e o corregedor-geral do Foro Extrajudicial, desembargador Roberto Lucas Pacheco, acompanhados dos juízes auxiliares da Presidência Laudenir Fernando Petroncini e Carolina Ranzolin Nerbass Fretta. As diretorias de Orçamento e Finanças (DOF), Geral Administrativa (DGA), de Material e Patrimônio (DMP), de Gestão de Pessoas (DGP) e de Tecnologia da Informação (DTI) foram representadas por suas respectivas lideranças.

Na ocasião, o diretor da DTI, Rafael Giorgio Ferri, classificou o projeto como um divisor de águas para a área administrativa. "Essa integração entre os sistemas é fundamental para agilizar o processo", enalteceu. Com a adesão à nova ferramenta, as demandas de tecnologia da informação serão reduzidas, otimizando o atendimento do setor em benefício de outros projetos importantes para a administração.

"Todos os servidores serão desonerados porque não será mais preciso solicitar informações. Há expectativa de ganho no acesso à informação", observou a diretora de Material e Patrimônio, Graziela Cristina Zanon Meyer Juliani. O novo sistema, acrescenta o diretor de Orçamento e Finanças, Eduardo Cardoso Silva, terá reflexo na organização de dados. "Haverá otimização de procedimentos. Automatização, redução de retrabalho e transparência. Os dados estarão melhor organizados e integrados", aponta.¿

Imagens: Divulgação/Assessoria de Imprensa TJSC
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.