Dicas de gestão
Voltar A importância da resiliência

A resiliência é a capacidade de lidar com as adversidades, superá-las e até mesmo enxergá-las como oportunidade de crescimento. O ser resiliente é aquele que interpreta a adversidade como um aprendizado, escolhendo a inteligência e a esperança em vez da vitimização (CARMELLO, 2008).

Em momentos de mudança, o líder resiliente utiliza competências específicas para levá-lo a concretizar os projetos propostos. Dentre elas, destacam-se: a autoconfiança, o otimismo, o foco no propósito, a adaptabilidade, a criatividade, a disposição para correr riscos e a busca de apoio.

Essas competências podem ser aperfeiçoadas por meio do desenvolvimento pessoal e do conhecimento de suas potencialidades:

  • Autoconfiança: é a confiança na sua capacidade de lidar com problemas e obstáculos. Para desenvolvê-la, identifique pessoas que sabem lidar com adversidades para tê-las como referência; estabeleça metas desafiadoras que exigirão muito de seu potencial e demonstrarão sua capacidade; e desafie suas crenças limitantes.
  • Otimismo não se trata de acreditar que tudo vai dar certo sempre, mas sim saber que para toda situação pode haver uma solução e que podemos aprender em cada dificuldade. Seu desenvolvimento depende diretamente de como você busca as alternativas e planeja alcançar os objetivos, avaliando os desafios por diferentes perspectivas.
  • Foco no propósito: ter um propósito claro ajuda a direcionar os esforços para o objetivo final e manter a motivação diante de dificuldades. Defina metas claras, pois alcançá-las pode aumentar sua confiança e satisfação. Estabeleça sua estratégia e a siga para se aproximar gradativamente dos objetivos. E, mesmo diante de imprevistos, mantenha-se comprometido.
  • Adaptabilidade: é a competência que nos molda às circunstâncias e a contratempos. Para desenvolvê-la, encaixe as mudanças em seus objetivos, pois isso pode ajudá-lo a compreender que elas podem ser necessárias e positivas. Ainda, tentar antecipá-las pode favorecer a elaboração de planos de contingência. Para avançar positivamente é necessário aceitar a nova realidade e voltar o foco para os objetivos.
  • Criatividade: é a capacidade de gerar soluções diversas diante de situações desafiadoras. Para desenvolver esta valorizada competência, é necessário reconhecer e definir os problemas objetivamente e tentar analisá-los por diferentes perspectivas, pois isso favorece a construção de novas alternativas ou soluções.
  • Disposição para correr riscos: os desafios são as melhores oportunidades para aprender e se desenvolver. Esteja disposto a sair de sua "zona de conforto" e se colocar em situações que exijam novos conhecimentos e habilidades. Cometer erros é parte fundamental da aprendizagem e nos permite descobrir coisas que nunca teríamos descoberto de outra forma.
  • Busca de apoio: ao lidar com situações difíceis, esteja disposto a pedir ajuda aos outros, pois estes podem lhe apresentar novas perspectivas e facilitar a busca por soluções que você não tinha considerado. Não se trata de fraqueza, mas sim de construir e confiar em uma rede de apoio composta por pessoas com diferentes habilidades e experiências.

O desenvolvimento da resiliência depende dessas diferentes competências presentes em todas as pessoas, em maior ou menor grau. Portanto, quando falamos de uma pessoa resiliente, estamos nos referindo a alguém que tem um nível relativamente alto de algumas ou de todas essas competências. Daí a importância de você se auto avaliar e receber feedbacks regularmente para buscar o equilíbrio e desenvolver a capacidade de utilizar a resiliência ao liderar sua equipe.

Na próxima dica, falaremos sobre inteligência emocional! Até lá!

Elaboração
Diretoria de Gestão de Pessoas
Divisão de Desenvolvimento de Pessoas
 
Referências
CARMELLO, E. Resiliência: a transformação como ferramenta para construir empresas de valor. São Paulo: Gente, 2008.
Liderança Resiliente. Disponível em: <https://administradores.com.br/artigos/lideranca-resiliente> Acesso em 23 out 2020.