Dicas de saúde
Voltar Autocuidado materno

Autocuidado se refere a um conjunto de ações que o indivíduo adota para cuidar de si, o que inclui suprir necessidades do corpo e da mente e adotar hábitos saudáveis. O autocuidado melhora a qualidade de vida, fortalece a autoestima, diminui o estresse e preserva a saúde geral.

Como mãe, muitas vezes, você dispensa muito cuidado aos filhos e acaba negligenciando suas próprias necessidades. Entenda que, ao se valorizar, ao praticar o autocuidado, você também ensinará a seu filho o valor de cuidar dos outros e de se autocuidar, um ensinamento por modelagem.

E se você pensa que não é possível conciliar todos os papéis que já assume com o autocuidado, saiba que vale a pena abrir mão de alguma coisa para ter mais qualidade de vida com essa prática.

Confira algumas sugestões que merecem um tempo na sua vida e invista em amor-próprio.

1. Inclua uma atividade física de que você gosta na sua rotina. Comece aos poucos, aumente o ritmo e a frequência ao longo das semanas. Vale tudo: ioga, exercícios de alongamento, uma caminhada ou corrida entre um compromisso e outro, musculação, natação, dança, etc. O importante é adaptar um ou mais exercícios à sua realidade!

2. Já experimentou meditação? Pode parecer complexa no início, mas com o tempo você consegue dominar a prática. Inicie com meditações guiadas e breves, inclusive com o apoio de aplicativos. Ao aumentar a sua capacidade respiratória e de concentração, aprofunde o seu estado meditativo.

3. Dedique algum tempo para conversar com pessoas queridas, seja por meio de um encontro breve, chamada de vídeo ou mesmo ligação telefônica. Essa troca com os seus afetos ajuda a deixar o dia a dia menos pesado.

4. Defina metas pensando no seu bem-estar. Liste atividades simples, hobbies e hábitos que você deseja tornar realidade. Elimine a desculpa de falta de tempo e, para isso, defina prioridades e coloque em prática uma meta por quinzena ou por mês, por exemplo.

5. Tenha momentos para cuidar de você, fazendo uma espécie de SPA em casa. Tome um banho demorado e relaxante, acenda velas perfumadas, considere o uso máscaras para a pele ou cuidados com os cabelos uma maneira de relaxar, e não uma obrigação de se manter jovem e bonita. Depois de um tempo você perceberá que o resultado será bem melhor do que somente a busca pela aparência!

6. Leia, veja filmes e séries, ouça músicas, desenhe, pinte, enfim, faça atividades que te deem prazer. Algumas delas podem ser feitas na companhia da família. Você não precisa necessariamente estar sozinha para cuidar de si.

7. Vista uma roupa com que você se sinta bem sem precisar de uma ocasião especial, mas também, de vez em quando, vista uma roupa bem despojada, para se sentir livre e leve, sem se importar com os padrões sociais. Arrume o cabelo, use maquiagem se gostar, pinte as unhas com a sua cor favorita, mas também escolha dias para não fazer nada disso e veja como se sente. Enfim, tenha a liberdade de variar, de se sentir bem, de se ver uma pessoa bonita, em harmonia, em paz, como, de fato, todos nós deveríamos ser!

8. Não hesite, nem se sinta culpada, em dividir os cuidados das crianças com o companheiro/a companheira, para ter tempo de cuidar de si. Se você não pode contar com essa rede de apoio, considere buscar auxílio profissional ou alguém para fazer as tarefas domésticas enquanto você cuida de si. Uma alternativa é proporcionar semanalmente uma atividade externa para os seus filhos, em que estarão bem cuidados, e dedicar esse “tempo livre” para o seu autocuidado, que também pode ser um programa semanal.

9. O fato de se sentir vista, ouvida e compreendida na jornada materna traz conforto emocional. Compartilhar delícias e desafios da maternidade promove conexão, reconhecimento e pertencimento. Avalie participar de grupos em redes sociais ou presenciais que possam contribuir com essa forma de autoconhecimento. Num grupo de mães, cada uma pode se ver na outra, bem como oferecer e receber apoio mútuo, seja por gestos, por palavras ou até mesmo pelo silêncio. É imprescindível para o autocuidado que a pessoa consiga se perceber no mundo. Também fica o convite carinhoso para que você conheça e participe do programa Mães do Judiciário, instituído no PJSC para acolhimento, integração e informação às mães magistradas e servidoras (https://www.tjsc.jus.br/web/servidor/programa-maes-do-judiciario).

10. Considere, por fim, fazer terapia. Obter suporte profissional em momentos de maior estresse pode fazer grande diferença para que você aproveite o melhor da maternidade.

Como diz o escritor BJ Fogg, micro-hábitos são pequenas mudanças que mudam tudo! Começar pequeno pode ser o que falta para que um hábito se naturalize na sua vida. Reduza o esforço para manter constância. Escolha atividades que tragam sensações boas. Reconheça cada atitude de autocuidado como uma vitória, por menor que possa parecer. São as pequenas vitórias que nos mantêm motivadas para enfrentar os maiores desafios. O nosso cérebro libera dopamina (hormônio do bem-estar e da felicidade) quando sentimos que ganhamos algo mediante uma ação.

Que tal avaliar a sua rotina, os seus desejos e prioridades?

Pratique o autocuidado e dopamine-se!

Referências