Dicas de saúde
null Glaucoma

Glaucoma é o nome dado a um grupo de doenças oculares em que o nervo óptico é danificado.

O nervo óptico é responsável por levar as informações do olho para o cérebro, por isso, quando ocorre um dano nesse nervo, a visão fica embaçada e irregular.

Nos estágios iniciais do glaucoma é difícil perceber os sintomas da doença. Assim, muitas pessoas têm glaucoma sem se dar conta.

Como a perda de visão pelo glaucoma ocorre de forma gradual e, muitas vezes, lenta, é comum só se perceber falha na visão quando a doença está em estágio avançado, tendo já causado danos permanentes.

O glaucoma é a principal causa de cegueira irreversível no mundo, atinge cerca de 2% a 4% da população adulta. Apesar de ser mais comum de surgir após os 40 anos, o glaucoma pode ocorrer em qualquer idade. Ele é mais frequente, grave e refratário aos tratamentos nos negros.

Embora a perda de visão causada pelo glaucoma não possa ser recuperada, com um diagnóstico precoce e idas regulares ao oftalmologista para tratamentos a maioria das pessoas consegue manter a visão.

Diante disso, podemos entender por que é tão importante tomar medidas preventivas para ajudar a proteger a visão, mesmo que ela esteja aparentemente normal!

Apresentação da doença

São dois os tipos mais comuns de glaucoma.

O mais comum é o GLAUCOMA DE ÂNGULO ABERTO. Neste tipo, a malha trabecular, região que funciona como um filtro dentro do olho, adoece. Ela perde permeabilidade e passa a agir como um filtro parcialmente entupido, não permitindo mais a drenagem adequada do humor aquoso, o líquido que preenche o olho.

Nesse caso, a pressão intraocular se eleva de forma gradativa, sem que a pessoa tenha sintomas. A pressão elevada vai lesando gradativamente o nervo óptico e levando à perda progressiva da visão. Como essa perda se inicia pela visão periférica, o paciente não a percebe e vai se acostumando a um campo visual cada vez mais restrito. Por isso a doença é traiçoeira e pode levar à cegueira sem que a pessoa se dê conta de que tem a doença. O paciente só irá perceber a perda da visão nos estágios finais da doença, quando esta já afeta a visão central. Aí já é tarde demais, pois a perda visual causada pelo glaucoma é irreversível.

O segundo tipo mais comum é o GLAUCOMA DE ÂNGULO FECHADO. Neste tipo ocorre obstrução súbita da malha trabecular, o "filtro do olho", já mencionado. Esse tipo ocorre geralmente em olhos pequenos, hipermétropes, que possuem o ângulo entre a íris e a córnea muito estreito. Quando a pupila dilata, em ambientes escuros, por exemplo, a íris encosta na malha trabecular e bloqueia o sistema de drenagem, o que causa aumento súbito da pressão intraocular. Nesse caso, a pessoa sente muita dor no olho (geralmente unilateral), a visão fica embaçada de repente, e o olho fica muito vermelho. A dor costuma ser tão intensa que se irradia pela cabeça e pode causar náuseas e vômitos.

Como é o tratamento?

O tratamento do glaucoma consiste basicamente em baixar a pressão intraocular para que a lesão do nervo óptico e a perda visual parem de ocorrer. Portanto, conseguimos apenas estabilizar a doença, mas não curá-la. No tratamento são usados colírios, laser, cirurgia e comprimidos.

Como prevenir?

  1. Mantenha cuidado regular com a saúde dos seus olhos. Fazer exames oftalmológicos regularmente pode ajudar a detectar o glaucoma nos seus estágios iniciais, antes de o dano irreversível ocorrer. Ao consultar um oftalmologista, peça que ele recomende qual rotina ideal de exames você deve fazer de acordo com o seu caso.
  2. Conheça o histórico de saúde ocular da sua família. O glaucoma tende a ocorrer em pessoas que têm familiares com a doença. Se esse é o seu caso, faça exames oftalmológicos com mais frequência.
  3. Faça exercícios físicos regularmente. Exercitar-se de forma regular e moderada (sem excessos) pode ajudar a prevenir o glaucoma, reduzindo a pressão dos olhos. Converse com o seu médico sobre uma rotina de exercícios apropriada.
  4. Use colírios prescritos pelo oftalmologista. Alguns colírios podem reduzir significativamente o risco de que a alta pressão ocular se agrave para o glaucoma. Para serem eficazes, os colírios prescritos pelo seu oftalmologista precisam ser usados regularmente, mesmo que ainda não haja sintomas.
  5. Sempre use proteção para os olhos. Lesões oculares graves podem levar ao glaucoma. Use uma proteção para os olhos quando estiver utilizando ferramentas elétricas ou jogando esportes de raquete.