Dicas financeiras
Voltar

Como estão minhas finanças? Dicas para elaboração do orçamento familiar

A saúde financeira é tão importante quanto a saúde física, mental e emocional. O raciocínio é simples: as dívidas tiram o sono e a paz dos endividados, comprometendo sua vida familiar e profissional. Engana-se quem pensa que a saúde financeira significa ter milhões em aplicações. A tranquilidade, no âmbito financeiro, compreende ter o controle, na ponta do lápis, de suas receitas e despesas. Os detentores de bem-estar nesta área possuem necessariamente duas características: gastam menos do que ganham e mantêm reserva de emergência.

Mas como faço para saber como estão minhas finanças?

Para saber como estão as finanças, a elaboração de um orçamento familiar é fundamental. Para auxiliá-lo neste importante controle, disponibilizamos um modelo de planilha que também facilitará a compreensão sobre sua situação financeira atual.

O primeiro passo é identificar e anotar todas as suas receitas, ou seja, suas fontes de renda. Aqui é importante considerar os rendimentos líquidos, aquilo que efetivamente está à sua disposição.

Em segundo lugar, é hora de identificar todas as suas despesas. Para tanto, basta anotar todos os gastos: desde os maiores - como financiamento habitacional, aluguel e educação - até os menores - como mercado, padaria, farmácia, entre outros.

Se você utiliza cartão de crédito, uma boa dica é consultar as faturas para identificar as despesas. Nelas há a discriminação, a data e o valor dos gastos, o que facilita o controle e a verificação de eventuais excessos.

Os extratos das contas bancárias também são importantes para identificar gastos com o cartão de débito, saques de valores em espécie e pagamentos de contas.

O hábito de sacar seus vencimentos e realizar pagamentos em dinheiro pode dificultar o controle das despesas. Ainda assim, estes valores podem ser anotados, até mesmo, em uma folha de papel.

Identificadas as despesas, é possível classificá-las em:

  • Fixas e essenciais - que se repetem todo mês, sem nossa opção de escolha, como prestação do imóvel, água e luz; e
  • Variáveis ou facultativas - decorrentes de nossas escolhas, como vestuário, lazer, viagens, entre outras.

Lembre-se de reservar uma parte de sua receita mensal para gastos emergenciais (como consultas médicas ou odontológicas) ou imprevistos (como manutenções corretivas no carro ou na casa).

Mas como saber se as despesas de meu orçamento estão equilibradas?

Uma boa sugestão para esta análise é aplicar o método da Regra 50-30-20. Trata-se de um parâmetro para orientar o orçamento, no qual são estabelecidos limites de gastos mensais para as três principais áreas: 50% para gastos fixos e essenciais, 30% para gastos variáveis ou facultativos, e 20% para reserva de emergência. Saiba mais sobre este método.

Atualmente, existem diversas ferramentas tecnológicas que facilitam a gestão do orçamento, até mesmo aplicativos para celular. Se você pretende ter o controle de seu orçamento na palma da mão, pode conhecer algumas sugestões de aplicativos.

Vale destacar que a organização do orçamento é o primeiro passo da educação financeira. Contudo exige disciplina para identificar receitas e, sobretudo, despesas. Seguindo os passos desta dica, você terá um panorama real e atualizado da sua situação e estará se preparando para tomar decisões que assegurarão a sua saúde financeira.

Vamos praticar? Baixe nossa planilha e mãos à obra!

Elaboração
Equipe do Programa de Educação Financeira
Referências
Regra 50-30-20: conheça um método para organizar suas finanças. Disponível em: <https://www.infomoney.com.br/minhas-financas/regra-50-30-20-conheca-um-metodo-para-organizar-suas-financas/> Acesso em 10 jul 2020.