Dicas financeiras
null Contas digitais sem tarifas: uma boa opção?

A evolução tecnológica vivenciada sobretudo nas últimas três décadas alcançou todos os setores de produção. E o mercado financeiro foi seguramente um dos mais atingidos. A tecnologia trouxe rapidez e conforto em variadas atividades cotidianas. Um dos produtos que bem reflete essa revolução são as contas digitais.

A quem se destinam as contas digitais? Quais as suas vantagens e desvantagens? Posso encontrá-las em todos os bancos? Quais instituições financeiras oferecem contas digitais? São essas e outras perguntas que procuraremos abordar nesta dica financeira.

A conta digital pode ser compreendida como a modalidade de relacionamento firmado entre a pessoa jurídica fornecedora de serviços bancários, de um lado, e uma pessoa física ou jurídica, do outro, pela qual a contratante realiza as suas transações pelos meios digitais, notadamente por computadores, celulares ou tablets, dispensando a utilização física das agências.

De acordo com a Pesquisa FEBRABAN de Tecnologia Bancária (ano-base 2021), as transações financeiras via celulares e tablets (mobile banking) foram responsáveis por mais da metade de todas as operações bancárias no país. Nesse sentido, o estudo também expôs que, no ano de 2020, em razão da pandemia e do auxílio emergencial, as transações no mobile tiveram um salto de 64%.

Registre-se, de saída, que as instituições bancárias não são obrigadas a possuir, em seu portfólio de produtos, as contas digitais. Contudo, diante do sucesso das fintechs (instituições financeiras criadas com o objetivo de oferecer diversos produtos bancários a seus clientes, de maneira remota, sem agências físicas), tornou-se comum encontrar tal instrumento em praticamente todos os bancos.

Porém, cuidado! A conta digital pode não ser a mais adequada para você! Isso porque existem diferentes perfis de clientes. O correntista que possui o hábito de ir até o banco conversar com o seu gerente, por exemplo, pode ter mais dificuldade no relacionamento exclusivo via chats, ligações pelo 0800, conversas via mensagens, videochamadas ou em realizar comandos diretamente pelo aplicativo de seu smartphone ou computador.

A dificuldade no atendimento presencial pode ser considerada, portanto, uma desvantagem das contas digitais. Mas isso não quer dizer que o correntista de uma conta digital não possa ser atendido numa agência bancária. Ele até será ouvido pelo funcionário, porém pagará a mais por isso, já que tal circunstância não se coaduna com a finalidade da conta digital. Isso, é claro, se o banco contratado possuir unidade de tijolo, já que muitas instituições financeiras disponibilizam contas digitais sem ter agências físicas.

De igual forma, outra desvantagem das contas digitais diz respeito à impossibilidade de utilização de cheques. Em que pese cada vez mais raro o seu uso, tal circunstância deve ser levada em conta se o cliente ainda possui o perfil de realizar compras ou pagar contas por meio da emissão de cheques. Repise-se, aqui, a advertência feita no parágrafo anterior: se a instituição disponibilizar, o cliente até poderá emitir cheques, porém pagará a mais pela folha emitida.

A ausência de locais para efetuar saques também pode ser considerada uma desvantagem da conta digital, em especial aquela feita em instituições que não possuem agências físicas, porquanto o saque, embora perfeitamente possível, somente ocorrerá em terminais de autoatendimento 24 horas, nem sempre tão fáceis de localizar.

Uma diferença muito clara entre as contas-correntes comuns e as contas digitais está no próprio ato de contratação (e rescisão): enquanto nestas os termos de abertura e de encerramento, bem como o envio de documentos pessoais, são totalmente digitais, disponíveis logo após o download do aplicativo da financeira, naquelas persiste a necessidade de ida do consumidor até a unidade bancária para apor a sua assinatura nos papeis, além da apresentação de seus documentos fisicamente, não raras vezes acompanhados de fotocópias, autenticações e reconhecimentos de firma em cartórios.

Mas quais as principais vantagens das contas digitais?

Além do processo de abertura e encerramento acima descrito, há inúmeros benefícios. A inovação tecnológica proporcionou agilidade e comodidade em muitas operações.

A não utilização de agências físicas pelo cliente possibilita às instituições reduzir os custos; afinal, manter uma unidade bancária é altamente dispendioso. Por isso, a gratuidade é uma das principais características das contas digitais.

Outro benefício é a possibilidade de realização de TEDs ou DOCs que, a depender da instituição financeira, podem ser, além de gratuitos, como dito acima, também ilimitados.

Demais disso, outra vantagem é o acesso total às plataformas de investimentos, por meio das quais é possível, por exemplo, investir em títulos de renda fixa ou em fundos, comprar ações, contratar planos de previdência complementar, financiamentos ou seguros de vida, alterar limites de transações, entre outros, tudo da palma da sua mão, sem sair de casa.

Se, após tais fatores, você decidir abrir uma conta digital, eis a seguir mais de vinte instituições financeiras arroladas em ordem alfabética que, além de outras, possuem tal modalidade disponível: Agibank; Banco Bari; Banco BMG; Banco Bradesco; Banco BS2; Banco do Brasil; Banco Inter; Banco Itaú Unibanco; Banco Master; Banco Neon; Banco Next; Banco Original; Banco Pan; Banco Santander; Banco Sofisa Direto; Caixa Econômica Federal; C6 Bank; Modalmais; Nubank; Pag!; PagBank; e Superdigital.

Não restam dúvidas, portanto, de que os avanços tecnológicos mudaram drasticamente o dia a dia de toda a população, sempre com o intuito de proporcionar mais agilidade, conforto e segurança no desempenho das suas tarefas mais básicas. As contas digitais podem representar importante instrumento criado em benefício do consumidor, seja porque reduzem despesas, seja porque pretendem otimizar o seu tempo. Porém, é preciso avaliar o seu perfil de cliente. E você, já possui ou abrirá uma conta digital?

Quer contribuir com o programa ou sugerir temas para nossas ações? Então mande seu e-mail para educacaofinanceira@tjsc.jus.br.

Elaboração
Leandro Ambros Gallon
Equipe do Programa de Educação Financeira