null Chefe de cartório da comarca de Chapecó representa ciclismo do município nos Jasc 

Em meados da década de 90, a prática de mountain bike chegou ao Brasil e logo ganhou muitos adeptos, como o servidor Rogério Menezes, chefe de cartório da 4ª Vara Cível da comarca de Chapecó. Mais recentemente, no ano de 2012, pela parceria com um amigo que precisava perder peso, ele voltou a se dedicar ao esporte. A identificação foi tanta que o servidor se tornou atleta e hoje faz parte da equipe de rendimento de Chapecó. Nesta edição dos Jogos Abertos de Santa Catarina (Jasc), competiu na terça-feira (23/11) em São José.  

Como dizem os especialistas, a maturidade ciclística é alcançada após 10 anos de treinos. Isso devido ao alto nível de capacidade física que a modalidade exige. Para as competições, Menezes se dedica há oito anos, e neste ano representa Chapecó nos Jogos Abertos. “É uma grande satisfação representar o município de onde sou natural”, revela.  

Além dos Jogos Abertos, em 2021 o foco era uma ultramaratona (Brasil Ride), que aconteceu no início do mês na Bahia, com mais de 500 quilômetros de prova. Para estar apto, o funcionário público dedicou entre 10 e 15 horas semanais às pedaladas, além de treinos funcionais e academia. Ele conta que foi durante a preparação que surgiu o convite para disputar os Jasc por sua cidade natal. Infelizmente, nesta edição, problemas na bicicleta forçaram duas paradas, e o chapecoense foi desclassificado. 

“Sempre gostei de esportes de alta intensidade. Por isso, os treinos de rendimento não fogem do que eu já praticava, mas exigem maior número de horas quando antecedem competições. Agora, os fins de semana são dedicados para o esporte. Faço com muita satisfação porque acaba se tornando uma rotina prazerosa, de contato com a natureza e bem-estar. Vivencio lugares e situações incomuns em decorrência do ciclismo”, conta o atleta. 

Em sua história ciclística, o servidor relata que chegou a participar de uma prova por mês ao longo do ano. Em 2016 sagrou-se campeão em quase todas as competições que disputou. Hoje, aos 38 anos de idade, seleciona as provas visando não mais os troféus, mas a experiência que a competição pode proporcionar. 

No início deste mês, Menezes completou 18 anos no Poder Judiciário de Santa Catarina. Está há 11 anos à frente do cartório da 4ª Vara Cível. A juíza titular da unidade, Maira Salete Meneghetti, a quem Menezes se reporta, tem o servidor como “braço direito”. Segundo a magistrada, ele tem todas as qualidades que se pode esperar e querer em uma pessoa. “Ele é extremamente competente, dedicado, responsável, confiável... e ainda é esportista. Encontrou no ciclismo a maneira de manter a saúde física e mental, muito necessária diante da pressão do trabalho diário. Rogério é realmente um servidor exemplar”, elogia.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.