Voltar

Exposições dos 130 anos da comarca de Blumenau resgatam aspectos históricos da cidade

O hall de entrada do Fórum Central da comarca de Blumenau, no Vale do Itajaí, sedia neste mês cinco exposições em comemoração aos seus 130 anos de instalação. As mostras, que iniciaram nesta segunda-feira (10/2), apresentam fotos e documentos históricos, retratos de servidores e obras de arte. "Resgatando a Memória" apresenta a história da comarca em registros fotográficos do Fórum Universitário e do Fórum Central ao longo dos anos. As fotos internas e externas, cedidas pelo Arquivo Histórico da Fundação Cultural de Blumenau e pelos servidores, retratam as estruturas do Judiciário local, equipes e magistrados que atuaram e ainda atuam na comarca. Outra mostra que contou com a colaboração dos servidores é a "Exposição Artística" com desenhos, frases, histórias e textos produzidos pelos profissionais que atuam na comarca e seus filhos, todos relacionados ao Judiciário local.

A terceira exposição é "Urim e Tumin". Localizada no Espaço Cultural, ela contou com o apoio da direção do foro e já circulou pelas paredes da comarca antes de ocupar o Espaço Cultural, no piso térreo. Idealizada pelo sargento da Polícia Militar Hugo Moysescyk, também responsável por fotografar os personagens, servidores ativos e inativos, terceirizados e pessoas que vivenciam o Fórum Central de Blumenau e explicam o significado e a importância de trabalhar na comarca de Blumenau. Participaram do projeto, até o momento, o oficial de justiça Luiz Vicentini, a chefe de cartório Marcia de Queiroz Muller, a técnica judiciária Glaucia Teodora Correia, a assistente social Marlete Roncaglio, a copeira Geni Sibulski, o chefe de cartório Fernando Marcelino Francisco e o servente Alberto Santos, que atuou na obra de reforma do Fórum Central.

Direto da Capital, a exposição "Nas Correntezas da Justiça, Redemoinhos: 130 anos da comarca de Blumenau" traz a público processos judiciais das décadas de 1890, 1900 e 1910, cedidos pelo Museu do Judiciário Catarinense. Um dos itens é a primeira ação de divórcio de Santa Catarina, de 1890, entre Joanna Helena Hering Garrenfeld e Hugo José Garrenfeld. De 1908 é o processo de desapropriação que envolveu Giovanni Palastri, Osvaldo Odebrecht e o Governo Estadual. De 1912, um documento revela como eram confeccionadas e circulavam cédulas e moedas falsas na comarca de Blumenau. Deste processo estão expostos os autos, fotos da época e as cédulas falsas. Há ainda processos de 1886, 1908 e 1918.

Para finalizar as celebrações dos 130 anos de instalação da comarca, o Fórum Central de Blumenau recebe ainda a segunda edição da exposição "Laudas Iniciais". A origem da mostra se deu através de uma reunião entre o coordenadora da Comissão de Cultura da Ordem dos Advogados do Brasil-Subseção Blumenau, Andreia Reichow, e o cônsul honorário da Áustria em Blumenau, Mauro Kirsten. A primeira edição ocorreu em agosto de 2019, em comemoração ao mês do advogado em Blumenau. 

"Após muita troca de informações, argumentei que seria interessante resgatar amostras dos primeiros documentos jurídicos de Blumenau. De imediato surgiu a figura de Theodoro Klein, nomeado escrivão por Hermann Otto Bruno Blumenau, o primeiro personagem jurídico da cidade, fazendo os registros de Blumenau, que veio da Alemanha como tantos outros imigrantes com o lendário Vapor Blumenau. O comportamento dos imigrantes e suas rotinas foram depreendidos através do livro 'Vivências e Narrativas de um blumenauense', do autor Karl Kleine", relembra o cônsul honorário da Áustria, que após conjugar as imagens acompanhou a impressão e a moldura de todos os itens em exposição.

Segundo Kirsten, o auxílio da professora Sueli Petry, da Fundação Cultural de Blumenau, foi essencial no resgate de peças jurídicas. Estão expostos no Fórum Central de Blumenau a cessão de posse firmada pelo fundador da cidade, Hermann Otto Blumenau, com o Império devolvendo suas terras e dando início à regularização imobiliária da cidade; peças iniciais; contestações; litígios; o relato do primeiro homicídio na cidade; homicídio do comandante do Vapor Blumenau; o primeiro registro de suicídio; primeira prestação de contas aos imigrantes firmada pelo Dr. Blumenau e o contrato social da Cia Hering, cedido gentilmente pela empresa, que tem um significado especial aos blumenauenses. Além da comarca de Blumenau, são parceiros na exposição a OAB, Subseção de Blumenau, e a Secretaria de Cultura e Relações Institucionais de Blumenau. Outras cidades serão objeto de exposições semelhantes pelo cônsul honorário da Áustria em Blumenau, desafio proposto com um elenco de parceiros.

A mostra "Nas Correntezas da Justiça, Redemoinhos: 130 anos da comarca de Blumenau" encerra no fim deste mês, e as demais seguem até o dia 10 de março. Todas as exposições são abertas ao público e podem ser visitadas de segunda a sexta-feira, das 12h às 19h, no Fórum Central de Blumenau, localizado na rua Zenaide Santos de Souza, bairro Velha.

Imagens: Divulgação/Comarca de Blumenau
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.