Voltar

Instrução de ação que apura feminicídio segue nesta semana na comarca de Joinville

A audiência de instrução da ação penal que apura a responsabilidade pelo homicídio de uma jovem que morreu com um tiro no peito, no final do mês de julho no Distrito de Pirabeiraba, em Joinville, terá sequência nesta sexta-feira (11/10), a partir das 14 horas, na comarca de Joinville.

O juiz Gustavo Henrique Aracheski, titular do Vara do Tribunal do Júri, pretende ouvir as 18 testemunhas arroladas pelos réus, além do interrogatório do próprio acusado da morte, assim como o de seu pai, que responde por crime de fraude processual. Na primeira audiência, que aconteceu na última sexta-feira (4/10), foram ouvidas 13 testemunhas indicadas pela acusação, entre elas seis protegidas.

O fato teve grande repercussão regional e estadual, pois o companheiro da jovem de 20 anos, acusado de feminicídio, alega que o disparo que a atingiu foi acidental. Imagens da unidade hospitalar para onde a moça foi levada no porta-malas de um automóvel a mostram carregada nos braços pelo acusado, que na sequência se evadiu e a deixou sozinha no local. A arma de fogo, segundo a versão defensiva, foi lançada ao mar e, apesar de buscas durante a fase de investigação, acabou não encontrada.  

Os advogados de defesa e o assistente de acusação acompanham todos os depoimentos. O acusado está preso preventivamente no Presídio Regional. Um pedido de habeas corpus foi apresentado no fim de agosto, mas negado pelo TJSC.  A defesa, contudo, já interpôs recurso ao Superior Tribunal de Justiça (STJ), em Brasília, ainda sem decisão.

Imagens: Arquivo/TJSC
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.