Voltar

Live na noite desta quinta-feira vai propor abrir os cárceres para as leis do amor

O Grupo de Estudos em Justiça Sistêmica de Santa Catarina promove nesta quinta-feira (19/11), às 19h30min, a quarta live sobre a prática sistêmica na solução de processos judiciais. O bate-papo entre a juíza Leila Mara da Silva, da Vara Criminal da comarca de Indaial, e a consteladora, professora e palestrante, Marilise Einsfeldt, que trabalha há mais de três décadas com constelações familiares e abordagem sistêmica, terá como tema "Abrindo o Cárcere às Leis do Amor". 

Após a conversa on-line sobre as experiências com o assunto em Santa Catarina e no Amapá, estados onde a palestrante convidada atuou, o público poderá tirar dúvidas por meio de comentários na live. A transmissão ocorre no dia e horário marcado no canal da Associação dos Magistrados Catarinenses (AMC) no YouTube, em https://www.youtube.com/user/amcatarinenses.

O Grupo de Estudos em Justiça Sistêmica já realizou três palestras sobre a aplicação do método no Poder Judiciário catarinense. No primeiro evento, a juíza Karina Müller, da 1ª Vara Cível da comarca de Camboriú, conversou com o palestrante Décio Fábio de Oliveira Júnior, um dos fundadores do Instituto de Desenvolvimento Sistêmico para a Vida. O segundo encontro on-line tratou da saúde dos magistrados e de como a Justiça Sistêmica torna o trabalho e a rotina mais agradáveis. A live teve participação da desembargadora Hildemar Meneguzzi de Carvalho e do médico Fernando de Freitas. 

A terceira live teve como tema separações e relações familiares. A conversa ocorreu entre a juíza Lilian Telles de Sá Vieira, do Juizado Especial Criminal de Violência Doméstica e Familiar da comarca de São José (SC), e a juíza Jaqueline Cherulli, da 3ª Vara Especializada da Família e Sucessões da comarca de Várzea Grande, no Mato Grosso (com informações da comunicação da AMC).

Imagens: Divulgação/AMC
Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.