Voltar

Dirigentes do PJSC reúnem-se por videoconferência com magistrados do Meio-Oeste de SC

Desde que iniciou a série de visitas a comarcas de Santa Catarina, o presidente do Poder Judiciário (PJ), desembargador Ricardo Roesler, já conversou com magistrados de 69 unidades judiciárias. Nesta segunda-feira (1º/6), as videoconferências tiveram a participação de juízes atuantes em sete comarcas situadas na região Meio-Oeste. Em todos os encontros, presenciais e virtuais, cada um teve a oportunidade de falar sobre suas experiências locais, demandas e anseios.

Em 40 dias, entre os meses de fevereiro e março, a cúpula e equipes técnicas do PJ estiveram em 45 comarcas das regiões Norte e Oeste. Readaptada por conta da pandemia, a aproximação com juízes e servidores passou a ser de forma virtual e contemplou outras 24 da Serra e Meio-Oeste. "O planejamento continua o mesmo, claro que dentro de algumas limitações impostas por essa situação, mas o diálogo aberto é uma marca registrada desta administração e corpo diretivo", diz o presidente, destacando que essa abertura se estende aos poderes Executivo e Legislativo, Ministério Público, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB) e demais instituições.

A aproximação tem o objetivo de melhorar os setores, as condições de saúde de magistrados e servidores e o trabalho de 1º e 2º graus de jurisdição. O diálogo também irá nortear os três eixos elencados pelos dirigentes do PJ, que são: informação, inovação e integração. Das reuniões participaram o vice-presidente da Corte, desembargador João Henrique Blasi; a corregedora-geral da Justiça, desembargadora Soraya Nunes Lins; juízes auxiliares da Presidência, juiz-corregedor e assessores. Aos magistrados das comarcas de Fraiburgo, Caçador, Lebon Régis, Santa Cecília, Campos Novos, Videira e Tangará responderam questionamentos, demandas e encaminhamentos relacionados à infraestrutura, gestão de pessoas e jurisdição, especialmente nesse momento singular de enfretamento ao coronavírus com o distanciamento social.

Há mais de 35 anos na magistratura, a desembargadora Soraya diz saber das angústias dos juízes e reconheceu o trabalho valoroso e comprometido prestado por eles e pelos servidores catarinenses. "Estamos com as portas abertas para recebê-los. Diálogo e transparência formam a base fundamental para o nosso trabalho. Podem contar conosco sempre", frisa.

Diretor do Fórum da comarca de Caçador, o juiz Emerson Carlos Cittolin dos Santos, da 1ª Vara Cível, avaliou como extremamente positiva a proposta de aproximação com as unidades do Estado. "É uma ótima oportunidade para termos conhecimento acerca dos próximos passos da instituição no enfrentamento da pandemia da Covid-19, e também é uma possibilidade de expor as demandas de nossas comarcas. Essa atitude só reafirma a postura participativa e democrática dessa gestão, ocasião em que foi possível reiterar nossa confiança em nossos dirigentes."

Da mesma forma considerou o juiz da comarca de Santa Cecília, Victor Luiz Ceregato Grachinski. "A reunião foi bastante profícua. Reafirmou a preocupação da direção do Tribunal com a saúde de magistrados e servidores como parâmetro principal neste momento e todos os esforços que estão sendo feitos para atenuar o impacto financeiro. Os pleitos apresentados pelas comarcas foram respondidos um a um, o que transmite a certeza que o Tribunal está atento para as necessidades das comarcas."

Para o magistrado Heriberto Max Ditrtrich Schmitt, da comarca de vara única de Lebon Régis, o encontro foi importante oportunidade de interação: "Fico contente com as explanações apresentadas. O diálogo tem nos tranquilizado e trazido o sentimento de pertencimento." Quem também vê a aproximação de forma positiva é o magistrado Flávio Dell'Antônio, da comarca de Tangará: "Muito proveitoso, especialmente para conhecermos o planejamento da administração, embora saibamos da situação atual de crise que assola todos os tribunais."

O espaço concedido aos magistrados oportunizou falar sobre como veem o Judiciário em meio ao cenário atual. "Inicialmente, agradeço a oportunidade de ouvir as demandas dos titulares de unidades do Meio-Oeste. Destaco que o atual sistema de teletrabalho implementado pelo TJSC em decorrência da pandemia foi o teste de fogo para uma mudança da maneira de pensar o dia a dia do expediente forense, com ótimos resultados", destaca a juíza diretora da comarca de Fraiburgo, Fernanda Pereira Nunes.

"A reunião demonstra a preocupação da atual gestão de dialogar com o primeiro grau, principalmente nesse momento atípico que estamos vivenciando. Aliás, nesse ponto, tem-se que a situação atual nos fez aperfeiçoar a forma de trabalho, utilizando a tecnologia de informação em nosso favor, como é o caso do home office", pontua o juiz diretor da comarca de Campos Novos, Rui César Lopes Peiter.

Em sua avaliação, a magistrada Mônica Fracari, diretora da comarca de Videira, diz que a reunião com o corpo diretivo do Tribunal só veio corroborar o esforço e a forma serena e equilibrada que a Presidência vem demonstrando em adotar medidas de caráter excepcional nesse momento de pandemia. "Isso tudo sempre visando a saúde de magistrados e servidores, sem perder o foco na produtividade e na qualidade da prestação jurisdicional, mediante diálogo transparente e aberto com a Justiça de 1º grau."

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.