Proposta de fortalecimento do diálogo é aprovada por juízes e servidores de comarcas da Serra

Juízes e servidores de oito comarcas da Serra catarinense estiveram mais próximos do Tribunal de Justiça nesta semana. O diálogo com os integrantes do 1º grau de jurisdição é uma proposta da atual gestão para fortalecimento da comunicação. Iniciativa aprovada por aqueles que fizeram parte da programação sugerida e que avaliaram as conversas como produtivas e esclarecedoras. Trabalho semelhante havia ocorrido no Norte, Oeste e Extremo Oeste em fevereiro e março, com visitas presenciais. Comarcas das demais regiões receberão as rodadas de reuniões em breve.

O presidente do Poder Judiciário de Santa Catarina, desembargador Ricardo Roesler, junto do 1º vice-presidente da Corte, desembargador João Henrique Blasi; da corregedora-geral da Justiça, desembargadora Soraya Nunes Lins; e dos juízes auxiliares da Presidência, juiz-corregedor e assessores, participou de quatro reuniões virtuais para ouvir os magistrados e conhecer a realidade de cada comarca.

Da mesma forma, diversos encontros virtuais oportunizaram aos servidores falar sobre seus anseios, formas e ferramentas de trabalho com as equipes técnicas do PJ. Essa atividade se estende até a próxima segunda (25), dia em que as comarcas de Campo Belo do Sul, Correia Pinto e Curitibanos fazem as videoconferências com integrantes da área de Tecnologia da Informação, Diretoria de Saúde,  Engenharia e Diretoria de Gestão de Pessoas, Divisão de Apoio Judiciário e Asplan. O assessor especial da Presidência Cleon Bassani Ribas coordena e participa das reuniões.

"O encontro foi muito produtivo. A preocupação da cúpula administrativa com o primeiro grau deixa magistrados e servidores mais confiantes para superar esse momento difícil." Juiz da comarca de Otacílio Costa, Guilherme Mazzucco Portela

"Achei muito produtiva a reunião, inclusive a iniciativa do presidente em dialogar com os magistrados e servidores da Serra para ouvir os anseios de cada um e deixar um abraço virtual em tempos de pandemia. Isso só mostra a proximidade e a lisura dessa administração." Juíza Monica Grisolia, da 2ª Vara Cível da comarca de Curitibanos

"O Tribunal inaugura um novo momento entre o segundo grau e o primeiro, tão necessário em período de crise e de distanciamento social, no qual a ausência de contato social gera um ambiente de ansiedade. Ademais, novos tempos advirão, o que exige a superação dos paradigmas de uma Justiça tradicional e impõe novos posicionamentos da magistratura, deixando a zona de conforto do processo judicial para abraçar uma Justiça participativa e social. Congratulo com os novos dirigentes e suas equipes de trabalho, desejando sucesso neste desafio ímpar." Juiz Silvio Orsatto, Juizado Especial Cível da comarca de Lages

"O diálogo ampliado do Tribunal de Justiça com o primeiro grau contribui para a melhoria da performance da Justiça Catarinense como um todo, e demonstra que a contribuição de todos é importante." Assessora de gabinete da Comarca de Bom Retiro Iara Correa

"Foi um momento valioso de escuta que oportunizou dialogar abertamente com as diretorias (DGP/DEA e Saúde) sobre temas e demandas importantes para a comarca. Julgo excelente essa abertura para que a gente possa compartilhar nossas necessidades." Secretária do Fórum da comarca de Lages, Yonara Zeschau Schimitz Silva

"É interessante que o Tribunal conheça a realidade e as necessidades dos cartórios. Tiramos dúvidas e pudemos dar sugestões de melhorias. Fazer isso por escrito é diferente de poder repassar as informações numa conversa. A experiência foi muito válida." Chefe de cartório da 1ª Vara Criminal da comarca de Lages, Lucilane Dal Pivo Galvan

"Muito importante estarmos juntos, podermos falar sobre nossas dificuldades e dividir inseguranças, especialmente neste momento em que uma das preocupações é com relação a como vamos continuar atendendo as necessidades de nossa população. A aproximação e o diálogo são sempre o melhor caminho. Vamos seguindo, sempre juntos." Assistente social da comarca de Urubici, Sônia Feldmann Momo

"Pudemos expor nossas dúvidas, aflições, nossos medos, nossas angústias. É importante ter alguém para dialogar e discutir contigo esse tipo de coisa. Particularmente, acho que isso deveria ser praxe de todas as administrações. O TJ conhece as comarcas apenas por números, então nada mais justo e correto que passe também a conhecer as vidas humanas que fazem essas comarcas andar. Nada como uma conversa olho no olho, bem diferente da frieza das  mensagens de e-mail e das ligações telefônicas. E falo frieza não como crítica aos colegas do TJ que nos atendem quando precisamos, mas porque realmente contato, além do e-mail e do telefone, mesmo que seja apenas visual, é muito importante. Dá uma sensação ou a certeza de que o TJ se importa contigo e com tua comarca e que não somos apenas números e matrículas. Foi uma atitude digna de elogios." Chefe de cartório da 2ª Vara da comarca de São Joaquim, Arnaldo Nazareno Borges

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI
Responsável: Ângelo Medeiros - Reg. Prof.: SC00445(JP)

Copiar o link desta notícia.